Porque Sim

Sexta-feira, 11 de Setembro de 2009

Era para ser hoje o dia em que ia alterar o título do meu blogue mas subitamente lembrei-me que faz hoje 8 anos em que se verificou o atentado contra as torres gémeas do World Trade Center e decidi escrever um pouco sobre este acontecimento.

Pelos dados que me são dados pela Wikipédia morreram 3234 pessoas sendo que estão aqui incluidos os 19 terroristas.

Feridos foram cerca de 6.291 mais coisa menos coisa.

O responsável por isto foi alguém que se chama Osama Bin Laden.

Lembro-me que na altura fiquei horrorizada a olhar, creio que com cara de parva, para tudo o que se estava a passar.

As noticias corriam velozes e a sensação que pairava no ar era que os Estados Unidos estavam a ser bombardeados por tudo quanto era sitio e tardava a resposta.

Afinal o maior país o mais assim e o mais assado não estava preparado para coisa nenhuma e conhecendo como conheço os portugueses se tivesse sido em Portugal esta situação ter-se-ia dado porque eramos um país do terceiro mundo.

Afinal o país todo poderoso ía nu e tinha pés de barro.

Afinal, mais uma vez se provou que nunca ninguém está preparado para o inesperado.

Nesta história fiquei a pensar alguns dias depois e de já ter lido um sem número de noticias, que nem tudo me convenceu e convence ainda.

A ideia que fiquei é que apesar de tudo Bin Laden até que não quis matar muita gente porque se quisesse, bastava ter marcado o ataque para uma hora mais tarde e aí, meus senhores, seria uma chacina.

Depois todas as especulações que surgiram em redor deste acontecimento, que não teria sido nenhum avião que teria caído no pentágono mas sim um missil enviado pelos Estados Unidos, bem como o quarto avião ter caído  e apenas se ter encontrado destroços e nada de corpos. Enfim a verdade é que o 11 de Setembro parece ter caído do Céu, (caíu mesmo) para os Estados Unidos, tanto que queriam atacar o Iraque e motivos eram poucos e não tinham apoios, de repente tudo se modificou.

Espanta-me.

Não acredito em coincidências, e depois de ter visto tantos documentários, não sei até que ponto os próprios não atentaram contra eles.

O dinheiro tem um poder enorme e cada vez mais se descobre o seu poder e o poder que os Chefes de Estado não tem e estão reféns de quem tem o dinheiro, afinal de quem tem o poder.

Porque acredito que se assim não fosse, não existiria a fome que há numa grande parte do mundo, não se criaria as condições necessárias para as guerras, a droga já teria sido abolida à séculos e duvido também que haveria de quando em vez Gripes estranhas e virus estranhos, bem como teria acabado a pedofilia, a escravatura sexual, enfim um sem número de situações que são criadas por todos aqueles que têm o poder do dinheiro.

Por isso lamento que uma vez mais pessoas inocentes tenham pago pela ganância de alguns.

 

sinto-me:
publicado por alzirota às 16:43

De Dylan a 19 de Setembro de 2009 às 09:36
Com os ataques terroristas ocorridos nos Estados Unidos da América em 11 de Setembro de 2001, pensou-se que a luta contra o terrorismo iria entrar numa nova era, pois a partir dali nenhuma sociedade estaria imune a um eventual ataque.

Em vez disso, entrou-se num antiamericanismo rançoso, chegando-se ao ponto de dizer que a América estava a pôr-se a jeito para que aquilo acontecesse. É este o discurso de uma parte da esquerda europeia, ressabiada com a desagregação soviética e saudosa do Muro de Berlim, impulsionada pelos meios de comunicação social, alguns deles meros focos de intoxicação da opinião pública. Tamanho ódio e preconceito só é superado pela deliciosa ironia: a América, o país-continente, sempre na vanguarda do progresso tecnológico e civilizacional, onde existe a maior multiculturalidade de raças e credos, onde as minorias são uma voz activa na sociedade e a liberdade e a democracia atingem o expoente máximo. É o país que mais disponibiliza ajuda humanitária e financeira ao exterior e também aquele que acolhe o maior número de imigrantes em busca dos seus legítimos sonhos.

O antiamericano contemporâneo adora o estilo de vida “yankee”: os filmes de Hollywood, a literatura, a música, os refrigerantes, a “fast-food”, mas é incapaz de reconhecer isso porque é hipócrita. O despeito é tal que se branqueia o papel decisivo da América no desenlace da Primeira e Segunda Guerra Mundial evitando que a Europa caísse num regime totalitário. Claro que nem tudo é perfeito, o sistema de saúde e, principalmente, a sua política geo-estratégica, mais agressiva depois dos atentados. Diz Chateaubriand, “não há nada mais servil, desprezível, covarde e tacanho que um terrorista” - eu acrescento -, e de que um antiamericano.

De alzirota a 22 de Setembro de 2009 às 22:10
O que dá pica num blogue, são os comentários, quer sejam eles a favor ou contra o que está escrito. Portanto fiquei extremamente feliz quando verifiquei que tinha um comentário no meu último post.
Assim, sobre o seu comentário, tenho a acrescentar que nunca fui saudosista de coisa alguma, até porque o passado é passado e águas passadas não movem moinhos.
O irónico da situação é afinal uma constatação, afinal nada nem ninguém está preparado para o inesperado e imprevisivel, se a minha constatação de que um País como os Estados Unidos, não estava preparado para o que aconteceu é ser antiamericano, então desse lado está alguém fanático pelos EUA, e quanto a mim, não existe País nenhum que mereça da minha parte tamanha devoção ou fanatismo.
Concordo que esse País dê voz ás minorias, que ajude a nível humanitário etc. etc. mas também não são alguns mafiosos, vendedores de droga, traficantes e tantos outros que se dão ao luxo de comprar clubes de futebol, de doar rios de dinheiro para os mais necessitados, e outras tantas boas acções para branquearem o seu dinheiro, para enfim taparem o sol com uma peneira?
Dylan, não existe a perfeição em País algum, todos eles têm as suas coisas positivas e negativas. Basta serem governados pelo Homem, que é o pior bicho á face da Terra, somos tão maus que até nos auto destruimos ou não será assim?
O Dylan está a esquecer-se que este País tornou-se País através da chegada dos Europeus, foram eles que impuseram as leis, na altura os Estados Unidos estariam povoados pelos Indios, que foram mais tarde quase todos chacinados porque estavam a travar o progresso deste País.
Nos Estados Unidos criou-se a Klu Klux Klan, esqueceu-se? Existiu a escravatura como em todo o lado ou esqueceu-se?
De facto existe a multiculturalidade mas não estão os chineses em Chinatown?
Os negros vivem a maior parte deles em guetos ou não será?
Nós temos bairros para os ciganos ,para os negros, tal como nos Estados Unidos.
Nesta selva apenas os mais fortes sobrevivem e devem-se contar pelos dedos de uma mão os de cor e credo diferentes que tiveram, seja em que País for, as mesmas oportunidades que um branco.
Já reparou que raramente se mistura num filme, o branco e um negro, provavelmente em 50 brancos 1 é negro.
Já reparou que só á muito pouco tempo os negros conseguiram ganhar óscares?
Está a querer dizer-me que os Estados Unidos foram invadir o Iraque porque são uma nação Humanitária, ou pelo contrário o petróleo deu-lhes imenso jeito?
Tal como a Austrália que ajudou Timor porque tinha por lá petróleo, senão acredito que neste momento Timor já nem existia, teriam sido todos chacinados.
Não sou ingénua, nem me considero antiamericana, considero-me simplesmente como uma pessoa com lucidez suficiente para entender que nunca ninguém deu nada a ninguém que não tivesse outros interesses, isto falando de politica, claro.
Todos os países têm a sua fachada, tal como as religiões.
Mantenho o que escrevi, se não fossem os paises industrializados, manejados pelo alto poder do dinheiro decerto que não existiria tanto país com fome.
Vou dar-lhe um exemplo, Angola. Pretendia-se a paz, mas uns quantos armavam outros quantos para provocar a instabillidade e provocasse a guerrilha constante, o pior de tudo é quando alguns dos mandatários querem impor-se aos mandantes.
Bom, um testamento tão grande para nada, porque as suas ideias não conseguirei mudar, tal como as minhas também não mudarão.
Quanto ao antiamericanismo rançoso, não sei, se calhar já estou rançosa, é que aguentar tanto tempo com 98 Kilos, já devo ter direito a alguns bocados de carne rançosos.
Mas Dylan, agradeço que compartilhe comigo sempre que não concorde com os meus posts, afinal, todos diferentes, todos iguais.

De GAJA a 30 de Setembro de 2009 às 16:10
HÓ ALZIRA ESTAVAS FULA OU VÊGE

De alzirota a 30 de Setembro de 2009 às 16:56
o que é que achas?


mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30


Últ. comentários
Parabens Para a Ana para os Avos, e bem Vindo Ant...
Amiga boa tarde.Nos conheçemos desde sempre, e ain...
Olá amiga!Aqui estou eu para te deixar um sorriso ...
Amiga sem palavrasSem palavras mesmoBeijo
obrigado, e todos os sitios são sempre os adequado...
Amiga não é o sitio mais indicado mas aqui vai os ...
opá, essas coisas não se dizem. Fazem-se.AHHHHHHHH...
Tou cm saudades daquele strip, lembras? Bjinhos
Obrigado.É sempre gratificante para mim, saber que...
Boa tarde amigaEsta lindo parabens, esta com um es...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro